Storytelling: por que é tão importante inspirar o seu cliente?

|

Muito já se ouve falar sobre o Storytelling, ou a arte de contar histórias, mas você sabe o quanto essa técnica pode contribuir para a estratégia de marketing da sua marca? Antes de mais nada, já que estamos falando desse assunto, é importante que você conheça a história desse blogpost.

A ideia veio da Marcele Folgati, responsável pelo atendimento da Bring, que ganhou o livro “Storytelling: Aprenda a contar histórias com Steve Jobs, Papa Francisco, Churchill e outras lendas da liderança” de Carmine Gallo, mas deixou ele de lado por algum tempo, já que não via tanta importância nesse assunto. Após ver tantos conteúdos sobre o tema, Marcele se deparou novamente com o livro na sua estante e começou a refletir sobre como ela conta a própria história para as pessoas a sua volta. O resto da história? Ela leu o livro em menos de dois dias e, além de ter se encantado pelo assunto, ficou com o sentimento de que mais pessoas deviam conhecer o poder dessa arte.

Por isso, trouxe essa ideia de pauta para o nosso blog! Então, hoje, esse é o nosso goal, mostrar o quanto o Storytelling pode ser fascinante – e útil para a sua marca. 

Mas porque usar o Storytelling para contar histórias?

Quando se conta uma história, inicia-se um vínculo entre o contador e o interlocutor. Já o Storytelling vai além do contar, mas sim, encantar através das palavras, sejam elas escritas ou faladas. Ou seja, engana-se quem acha que essa arte está apenas em textos, artigos e blogs, a técnica vai muito além! Toda e qualquer história pode ser contada através do Storytelling, desde uma simples conversa entre amigos até a campanha de lançamento de um produto.

No entanto, se você ainda não conseguiu perceber a importância dessa técnica, vamos lá! Como eu disse, as histórias geram vínculos, mas, não é qualquer tipo de história. Para criar essa empatia por parte do interlocutor é necessário pensar em histórias humanas. Assim como eu contei para você, no início desse texto, sobre a Marcele. Você, que também sente a mesma dificuldade dela, em contar a própria história, se identificou com a dor dela, e por isso, decidiu que deveria continuar a leitura desse texto, não é mesmo?

Agora, por que usar essa ferramenta na estratégia de marketing da sua empresa? Porque boas histórias, além de humanizarem marcas, aproximam a audiência e geram engajamento.

Um saboroso exemplo de Storytelling

Há mais de 40 anos, dois amigos se uniram para começar um sonho: abrir uma fábrica de sorvetes. Para começar, fizeram um curso por correspondência, pelo qual pagaram 5 dólares. Depois, investiram mais 12 mil dólares no negócio, sendo que um terço dessa verba foi emprestada. Então, abriram uma primeira loja em um posto de gasolina. Um ano depois, comemoraram o sucesso de um ano de empresa com um evento, o Free Cone Day, presentando seus clientes com casquinha gratuita durante todo o dia.

A marca de sorvetes cresceu e ganhou espaço em outros países, inclusive no Brasil. Também se tornou mundialmente conhecida, não só pelas diferentes misturas nos sabores de sorvetes, como também pelo cheiro delicioso da casquinha – feita na hora em suas lojas. Mesmo depois de toda a expansão, a marca ainda oferece um dia de sorvete grátis em comemoração ao seu aniversário em todas as unidades do mundo.

Certamente, você se encantou com essa história e pensou o quanto é possível dar vida ao seu sonho – seja ele qual for – mesmo que com pouco investimento. Essa é a história da sorveteria Ben & Jerrys, mas, também poderia ser a sua ou a da sua marca.

Os privilégios do Storytelling para a sua marca

Decerto, você já deve ter comprado algo porque se identificou com a história da marca ou do CEO da empresa. Portanto, dentre as vantagens do Storytelling, com certeza, essa é o maior delas: aumentar vendas. Em outras palavras, essa técnica, sempre que bem aplicada, irá contribuir com o posicionamento da marca.  Portanto, a consequência de encantar e emocionar o seu público, criando empatia e gerando consciência de marca, será o crescimento do seu negócio.

Como o Storytelling pode te ajudar a construir histórias poderosas

Existem muitas formas de construir um bom Storytelling, que podem ser conferidas tanto nos livros quanto no universo virtual. Opções que vão desde os estudos do filósofo Aristóteles, até a Jornada do Herói, na obra “O Herói de Mil Faces” de Joseph Campbell, ou mesmo o livro de Carmine Gallo que citamos no início desse artigo. De qualquer forma, com essas ou outras referências, vamos compartilhar como construímos o nosso Storytelling aqui na Bring. São dicas básicas que poderão ajudar você a desenhar – e contar – a história da sua marca. Mas, se precisar de uma ajudinha, estamos por aqui!

1 – Para quem a história será contada?

Já que a ideia do Storytelling é encantar o interlocutor, o primeiro passo é entender quem é essa pessoa. Qual é o seu perfil, quais são suas preferências, seus desejos e desafios. Só assim, será possível criar um enredo que fará com que o cliente seja tocado pela sua história.

2 – Qual é o cenário da sua história?

Esse ponto se complementa com o primeiro. Somente após o estudo da persona que mencionamos acima, é possível descobrir onde a sua história será ambientada. Por exemplo, se iremos falar sobre uma marca de itens para esportes outdoor, não faz sentido ambientar a nossa história dentro de em um shopping ou um supermercado. Lembre-se, o interlocutor precisa se projetar para dentro do enredo.

3 – Qual a dor da sua história?

Para que se crie um enredo, é importante apresentar a dor. Como fizemos no caso do Ben & Jerrys: “Fizeram um curso por correspondência de 5 doláres, investiram 12 mil dólares, sendo um terço emprestado”. Ou seja, o problema deve ser apresentado para que o público possa se ver naquela situação. Com isso, construímos a empatia, já que o interlocutor irá se projetar no papel da figura central da história, e torcer, internamente, para que haja um final feliz.

4 – Aposte na emoção para criar uma história inesquecível

Com o Storytelling, a ideia é que o interlocutor passe por uma transformação após ter acesso ao seu conteúdo. Portanto, a ideia de emocionar é o ponto chave para causar esse sentimento na sua persona. A sua história precisa “mexer” com o seu público – claro que de uma forma positiva. Lembrando que para que o conteúdo seja impactante, é importante criar um conflito e uma solução, ou seja, aponte o problema, mas também pense sempre em qual será o final feliz. Usando novamente o exemplo da marca Ben & Jerrys, o ponto alto é mostrar que, mesmo com pouco investimento, o objetivo dos amigos foi alcançado, e ainda foi além, já que a marca ultrapassou as barreiras da cidade onde ficava a primeira loja e ganhou o mundo.

Seja no roteiro de um vídeo, no desenvolvimento de um e-mail marketing ou no branding, o Storytelling já é uma realidade, não só aqui na Bring, como em muitas outras empresas que prezam pela sua marca. Nós também adoramos encantar os nossos clientes, não só através de técnicas como o Storytelling, mas também com entregas que vão muito além do que foi solicitado. E você? Como planeja posicionar a sua marca para cativar os seus clientes? Conta pra gente

Comentários

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Posts relacionados