10 tendências de consumo consciente até 2030

|

As formas de consumir mudam com o passar do tempo. No entanto, as tendências de consumo consciente tem chamado a atenção nos últimos tempos, por oferecerem algum tipo de bem-estar emocional e mental ao consumidor.

Porém, há alguns anos, a percepção sobre o ato de comprar era um pouco diferente. No passado, os descontos, a importância da marca e a quantidade ao invés da qualidade, eram os fatores de decisão na hora de adquirir algo. Hoje, essa decisão está ligada à consciência, à necessidade e aos benefícios a longo prazo.

Sobretudo o mercado de consumo consciente cresceu nas últimas décadas – e muito! O interesse e a curiosidade foram despertados, mas também uma dúvida em muitos clientes e empresas.

Pensando nessas novas formas de consumir, analisamos a pesquisa Tendências Globais do Consumidor 2030 da Mintel. Queremos ajudar você, profissional de marketing, a entender essa nova tendência e criar campanhas que atraiam o prospect certo. Acompanhe!

O consumo realmente mudou?

A resposta é: sim! O comportamento dos consumidores foi mudando a partir dos novos estilos de vida voltados ao bem-estar. Foi isso que levou a uma conscientização de ações, compras e estilo de vida. Como comentamos antes, o movimento consciente está ganhando cada vez mais espaço nas formas de consumir. As pessoas estão se familiarizando com as os comportamentos holísticos. Eles nada mais são do que todo o processo de compra, a matéria-prima, a mão de obra, a comunicação da empresa e até o pós-compra. Além disso, as pessoas também estão levantando questões sobre os valores e serviços superficiais, os quais são observados com mais atenção pelos consumidores.

O consumo no século XIX

No século passado os produtos e serviços era feitos para inovar. Hoje em dia o relacionamento que as marcas têm com os clientes é o que faz a diferença. Isto é, na forma como o sucesso de uma compra vai ser entregue a esses consumidores e como eles vão testar, por exemplo, um produto com ingredientes naturais ou experimentar um serviço mais humanizado. Todavia, se uma empresa se preocupe somente em vender algo que seja moderno, sem pensar em toda a cadeia do processo, pode ser que ela tenha resultados ruins.

Os consumidores estão mais preocupados com autocuidado, compras conscientes e com propósito. Foi isso que levou muitas marcas a pensarem sobre novas formas de atuar. Ou seja, como passar todos estes novos valores aos consumidores de modo que mostrem que estão, de fato, preocupadas com a qualidade de vida e os benefícios dos produtos ou dos serviços a longo prazo. É o que relata Alexandre Volpi, autor do livro “A história do consumo no Brasil”. É preciso enxergar o mundo com as lentes do cliente. Por isso, as marcas precisam estar de olho nessa nova geração de consumidores – e também as próximas! Para isso, o ideal é acompanhar sites especializados em tendências, como a newsletter e o blog da Bring Marketing House.

Como as marcas podem se tornar parceiras do bem-estar e do consumo consciente?

O primeiro passo é entender quais são as necessidades que os consumidores têm hoje, por exemplo. Somente dessa forma se cria uma boa experiência para eles. Quando uma empresa se preocupa em ter um setor que trabalhe só com o que o consumidor precisa, com melhorias na usabilidade, na comunicação, no atendimento, entre outros tópicos, fortalece a marca e traz o cliente cada vez mais para perto, o que o transforma em um cliente satisfeito e fiel.

O consumo e o bem-estar dentro das empresas

As tendências de consumo consciente também fazem parte do dia a dia das empresas. Isso porque o estresse se torna cada vez mais reconhecido como uma questão de saúde e ganha novas soluções, a fim de proporcionar bem-estar e boas experiências para os colaboradores.

Imagine uma empresa de tecnologia que só tem uma pessoa para fazer todo o marketing corporativo. Ela é responsável pela mídia online, offline, imprensa, branding e eventos. A quantidade de trabalho aumenta e a produtividade diminui, além do famoso estresse. Nesses casos, o consumo ligado à qualidade de trabalho acontece quando a empresa percebe que precisa de suportes para ter os resultados significativos. Dessa forma, os colaboradores ficam mais produtivos e sem acúmulo de trabalho. Empresas como a Bring Marketing House, por exemplo, contam com estratégias e planejamentos certeiros para auxiliar outras empresas em situações como essa.

Tendências de consumo consciente para 2025

De acordo com previsões da Mintel, especialista em pesquisa de consumo, análise de mercado, entre outras, existem seis principais tendências que podemos esperar para 2025 em relação a qualidade de vida e consumo de modo geral:

  • os exercícios de uma mente consciente vão ser tão importante quanto os exercícios físicos, por exemplo;
  • alternativas de trabalho e estudo vão crescer para compensar o grande estresse causado pela ameaça da automatização, quando quase tudo vai ter um toque robotizado;
  • vamos contar com mudanças sobre o consumo de água, com foco muito maior na economia e na filtragem dela;
  • os conhecimentos sobre os benefícios de soluções beleza, bebidas, alimentos e cuidados pessoais que tenham base no tipo sanguíneo das pessoas pode aumentar;
  • kits de teste de DNA caseiros têm grandes chances de serem comuns nas áreas de bem-estar individual, os quais vão desde dietas até soluções para cabelo e pele;
  • consumir carne vermelha tende a deixar de ser um hábito comum e vai se tornar artigo de luxo.

Tendências de consumo consciente para 2030

Além das tendências para daqui quatro anos, a Mintel também se adiantou e pesquisou o que podemos esperar para 2030. Afinal, o tempo está passando bem rápido e as mudanças não param de acontecer. O que podemos esperar até lá:

  • o avanço da micro robótica na corrente sanguínea, a qual previne de maneira antecipada eventuais ameaças para o corpo, como vírus, bactérias, entre outros;
  • mudanças em relação a superpopulação e localização das moradias, com novas formas de comunidade e compartilhamento, como os colivings, que vão ficar cada vez mais populares;
  • diminuição do uso de veículos, principalmente aqueles que usam combustíveis que vem do petróleo, pois o impacto ambiental e o espaço físico vão ser prioridades;
  • a limpeza do ar vai ser um diferencial para prédios, eventos públicos e comércios de rua.

Já podemos ver algumas tendências hoje em dia. A pandemia do novo Coronavírus , por exemplo, acometeu 2020 e forçou diversas mudanças na rotina de toda a sociedade. Nesse movimento, deu para perceber o novo sentido do consumo consciente.

No entanto, outros meios de comportamento do consumidor também foram observados pela pesquisa da Mintel. Por exemplo, as tendências tecnológicas que teremos até 2030, a qual vamos falar no próximo post.

Bateu curiosidade? Então não perca o conteúdo da próxima semana, que vai trazer informações sobre tecnologia e consumo e as previsões para os próximos anos. Nos vemos lá? =)

Comentários

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Posts relacionados