Big Data: insights para usar a análise de dados a favor do marketing da sua empresa

|

Cada vez mais, os termos Big Data e Business Intelligence estão sendo encontrados nos planejamentos de Marketing. O motivo? Utilizar dados para orientar a elaboração do planejamento é um caminho inteligente para assegurar a criação de uma estratégia de marketing eficaz e sustentável. Além disso, coletar e analisar dados durante a veiculação das campanhas também é fundamental para garantir a otimização dos investimentos nessas ações. Mas, se você ainda não entendeu sobre o que estamos falando, continue a leitura desse artigo que iremos te ajudar a entender melhor o assunto e te explicar por que essa pode ser a estratégia ideal para alavancar vendas na sua empresa.

A diferença entre Big Data e Business Intelligence

Antes que mergulhemos no tema, vamos entender melhor o que cada termo significa. Big Data analisa e interpreta uma grande quantidade de dados e informações, que em muitos casos eram desconhecidos, a fim de encontrar novos caminhos. Por outro lado, o Business Intelligence, ou BI, alia essa compilação de dados à análise cuidadosa de uma equipe de inteligência, que visa tomar as melhores decisões com o objetivo de trazer melhores resultados. Para isso, são feitas análises de dados através de softwares especializados. Portanto, enquanto Big Data encontra um leque de possibilidades, o BI organiza e analisa esses dados e contribui com insights para alcançar o grande objetivo do marketing: levar a informação certa, para a pessoa certa, no momento certo.

Qual é o papel do Big Data na estratégia de marketing?

O volume de informação disponível, hoje em dia, é imenso – principalmente no ambiente online. Esse movimento é ainda impulsionado pelas novas tecnologias, que possibilitam a aproximação virtual das pessoas ao mesmo tempo que facilitam a produção e a divulgação de conteúdos em diversos canais de comunicação. De fato, a forma de consumir conteúdo também vem mudando. As pessoas sentem-se, cada vez mais, atraídas por comunicação personalizada. Ou seja, que contenha argumentos condizentes com as suas realidades ou que demonstrem apoio a alguma causa social a qual se identifiquem. Isso acontece porque um conteúdo personalizado nos tira de uma “busca sem fim”. Identificamos um elemento que “dá match” com a nossa necessidade e optamos por consumir esse conteúdo ao invés daquele outro mais genérico, que fala com a massa.

Então, como é possível produzir conteúdo suficientemente relevante, que se destaque nesse mar de informações e consiga atrair e reter a atenção do meu público? Uma solução para esse problema é o Big Data. Aplicar a cultura de dados para a criação de uma estratégia de marketing data driven, ou marketing orientado por dados, além da possibilidade de elencar argumentos mais coerentes com as necessidades do seu público-alvo, também permite criar ações automatizadas para personalizar ainda mais a experiência do target. Em suma, quer entender melhor como fazer isso? Siga as nossas dicas!

1 – Conheça melhor o seu público

Para que você possa criar conteúdos personalizados para o seu público, primeiramente, você deve conhecer quem são essas pessoas, ou seja, seus possíveis clientes. Desse modo, existem algumas estratégias que podem ajudar, como:

  • Fazer uma segmentação de mercado
  • Criar personas
  • Desenhar a jornada de compra desde o Momento de Vida até o Momento Final

2 – Crie experiências personalizadas para o seu público

Existem muitas formas de criar conteúdos personalizados, e que vão além de incluir o nome do seu cliente em um e-mail marketing ou oferecer um produto 100% personalizável. Os dados confirmam que essa é uma dica de ouro. De acordo com um estudo da consultoria McKinsey, as organizações que se comunicam de forma personalizada com seus consumidores aumentam a fidelidade e a receita em até 30%.

No entanto, é claro que você não precisa de um algoritmo como as plataformas de música e streaming Spotify e Netflix que usam os dados dos usuários para oferecer sugestões personalidades de músicas e livros. Mas, você pode apostar na personalização de vídeos, através de plataformas de automação de marketing que usam CRM para coletar dados dos usuários e incluí-los nos pontos do vídeo onde os tokens de personalização forem inseridos. Ou oferecer cores para o cliente deixar o seu produto ou serviço com “a sua cara”. Assim como o banco digital C6 Bank, que ofereceu a possibilidade de dez cores diferentes para os clientes personalizarem o cartão de crédito. Gustavo Torres, diretor de inovação e experiência da marca, afirma que a iniciativa deu certo. Já que a adesão de mulheres aumentou 30%, e ainda tornou o cartão rosa um item cobiçado entre o público feminino.

3 – Faça automação de campanhas

Além da análise de dados, existem outras ferramentas que podem te ajudar a entender quem é o seu público e quais são as suas preferências. Através de softwares de automação de marketing, que permitem ações em escala para aumentar os resultados de uma campanha. Com essas ferramentas, é possível acompanhar a estratégia para agir de forma personalizada. Por exemplo, os testes A/B, presentes em plataformas de anúncios como Facebook e Google, e também podem ser aplicados a Landing Pages e campanhas de e-mail ou SMS, por exemplo, que permitem promover conteúdos diferentes para públicos diversos e avaliar a melhor performance. A possibilidade de automação também existe em campanhas de e-mails marketing, com a segmentação de listas e conteúdos dinâmicos.

4 – Otimize seu investimento

Esse pode ser o maior benefício em implementar Big Data e BI na sua estratégia de marketing: otimizar o seu investimento e eliminar gastos que não darão retorno suficiente. A análise de dados atenta e precisa te ajuda a identificar oportunidades de negócios que não eram percebidas antes, como nichos de mercado onde há espaço para atuar e a chance de inibir falhas que foram identificadas nos concorrentes. Além disso, uma boa mensuração de informações possibilita a montagem de previsões para decidir os próximos passos das ações em andamento.

A otimização do investimento também permite que a sua campanha seja direcionada para a pessoa certa, na hora certa, o que elimina gastos desnecessários, além de aumentar a taxa e reduzir o custo de conversão.

Como implementar o Big Data e as demais dicas na sua empresa?

O primeiro passo é fazer um diagnóstico para entender como os dados podem ser úteis para o negócio. Além de definir metas e estabelecer as métricas para acompanhar a performance da estratégia. A Bring Marketing House possui uma equipe especializada que une Business Intelligence e planejamento estratégico. Nossa missão é entender as necessidades dos nossos clientes, montar um plano de ação, criar, implementar e acompanhar campanhas personalizadas, sempre visando atingir os resultados traçados na estratégia.

Com a nossa expertise, entendemos e analisamos o mercado no qual o cliente está inserido, seus concorrentes, traçamos personas e indicamos a estratégia ideal para que a meta seja atingida. Com o acompanhamento diário, fornecemos feedbacks transparentes aos nossos clientes, ao mesmo tempo que identificamos oportunidades de melhoria que, muitas vezes, nos permite superar a meta e alcançar resultados ainda melhores do que esperado. Conte com a Bring Marketing House para te ajudar desde o planejamento da sua estratégia ao acompanhamento das ações e otimize o seu investimento. Envie uma mensagem para entendermos a sua necessidade!

Comentários

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Posts relacionados