E-mail Marketing: um guia eficaz de boas práticas

|

Para que você tenha resultados positivos nas campanhas de e-mail marketing, decidimos unir, nesse conteúdo, algumas boas práticas importantes para as empresas que pretendem investir nesse formato. Separamos aqui, dicas para a configuração da lista, o conteúdo, a formatação do e-mail e o disparo. Além de alguns pontos perigosos e que merecem atenção para que o seu e-mail não caia na tão temida caixa de spam e todo o seu trabalho seja ignorado pelo lead. Então, se liga no nosso manual!

Boas práticas de e-mail marketing: as listas

Se você ainda não possui uma lista de contatos, atenção! Aqui vão duas boas dicas para quem ainda está começando: em primeiro lugar, esqueça a compra de listas de mailings! Já que elas costumam conter e-mails falsos, antigos ou inexistentes, o que será extremamente prejudicial para a sua estratégia – vamos falar mais sobre isso no tópico perigo. Em segundo lugar, saiba que quantidade não é sinônimo de qualidade. No e-mail marketing, as métricas mais cobiçadas são as taxas de abertura e de cliques, no entanto, esses números não são proporcionais ao volume de contatos, ao contrário, eles poderão ser positivos se a segmentação estiver correta e houver engajamento do usuário. Por isso, melhor investir em poucos, mas bons leads.

Como fazer isso? O cenário ideal é que a sua lista de contatos tenha cadastros voluntários – pode ser um formulário no seu site ou uma Landing Page onde você oferece um material rico em troca dos dados do lead. Agora, se a sua empresa já tem uma base de contatos e quer começar a construir um relacionamento, é necessário fazer a sanitização das listas. Para isso, siga as dicas a seguir:

1. Avalie a qualidade lista

Qualidade, e não quantidade, sempre. As estratégias que apostam no volume de contatos têm grandes chances de acabar na pasta de spam, pois, enviarão um conteúdo impessoal e em sem relação com as preferências do lead. Em outras palavras, não adianta enfiar todos os tipos de laranja no mesmo saco e você vai entender ao longo do texto por quê.

2. Entenda quem são os contatos da lista

Como, quando e por que esses contatos foram captados? São prospects ou já compraram seu produto ou serviço? Somente após entender tais particularidades da sua lista, você poderá produzir conteúdo relevante para cada lead cadastrado nela. Ou, você vai apenas importunar pessoas que não sabe nem quem são ou de onde vieram com e-mails totalmente irrelevantes.

3. Segmente as suas listas

Existem softwares para gestão de e-mail marketing, como MailChimp e RD Station, que podem auxiliar no processo de segmentação. Assim, será possível separar os seus contatos de acordo com as preferências de cada um deles. As segmentações, em listas ou em tags, podem ser feitas de acordo com o tipo de contato – prospect, cliente ou parceiro – localização geográfica, gênero, interesses etc. A forma de segmentar vai depender de vários fatores, entre eles: como você trabalhou o item número 2 e qual estratégia pretende usar no envio dos conteúdos. Por exemplo, se você tem e-commerce de produtos para homens e mulheres, vale segmentar sua lista por gênero, dessa forma, o público feminino não receberá comunicações com peças específicas para eles. 

Boas práticas de e-mail marketing: o conteúdo

Agora que você conhece todos os contatos da sua lista e fez segmentações de acordo com a estratégia da sua campanha, chegou a hora de pensar no conteúdo do e-mail marketing. Essa não é uma tarefa difícil, mas existem alguns truques que irão impulsionar o seu lead a abrir, ler o e-mail, se interessar pelo conteúdo e executar a CTA. Veja abaixo!

1. Aposte no assunto

O assunto é a primeira impressão que o lead terá do seu e-mail, portanto, precisa chamar atenção. Além do título atrativo, deve-se pensar no tamanho e focar a informação importante já nas primeiras palavras, pois a quantidade de caracteres que efetivamente irá aparecer para o usuário está entre 35 e 40 no mobile e, em média, 70 caracteres no desktop. Veja outras dicas importantes para o assunto:

  • Parece óbvio, mas vale lembrar, o assunto tem que ter relação com o corpo da mensagem;
  • Desenvolva assuntos personalizados, com o nome da pessoa ou a empresa onde ela trabalha – nada como enviar um conteúdo “especial para você”;
  • Aposte em perguntas para gerar a curiosidade do leitor;
  • Faça! Abra! Compre! Permita! Os verbos no imperativo aumentam as chances do seu lead cumprir a ação;
  • Evite termos promocionais demais, como: só hoje, promoção, off, liquidação, free, grátis, desconto, etc. Eles podem aumentar as chances de o provedor interpretar a mensagem como abusiva e seu e-mail ir para na caixa de promoções ou spam;
  • Se o posicionamento da marca permitir, use emojis 😊
  • Seja objetivo! Lembre-se que o espaço é curto.

2. Desenvolva o corpo do e-mail

Essa é etapa que tem mais detalhes, porém, as plataformas de e-mail marketing são bastante intuitivas e facilitam a criação com o formato drag and drop, ou seja, é só escolher um box de texto, imagem, botão, etc., arrastar e soltar. Assim, é possível criar uma estrutura para se basear e depois ir recheando com as informações.

Algo que vale lembrar no momento da criação do emkt é: menos é mais! Quanto mais direto e objetivo você for, melhor. Lembre-se que o intuito é que o lead execute a CTA, então desenvolva o e-mail de forma que fique claro qual é a ação que ele deve executar, nada de deixar ninguém perdido, tentando clicar onde não deve. Falando em clicar, distribua links diferentes no corpo do e-mail, dessa forma, você poderá rastrear as ações do usuário e medir quais são os pontos de maior, e os de menor, interesse do lead. As dicas de personalização e objetividade do assunto, também valem aqui no corpo do texto.

Além dessas, também temos outras boas dicas

  • Seja simples na formatação, evite e-mails muito elaborados, principalmente no HTML, porque quanto mais você incrementar, mais difícil será resolver problemas de visualização em outros provedores e softwares, além de ter que dar uma atenção especial ao mobile;
  • Nada de textão, escreva em tópicos para dar leveza ao seu e-mail e facilitar a leitura;
  • Clareza sempre! É importante que o leitor seja guiado para que ele saiba que tipo de ação deve executar e o que ele ganha fazendo isso: um desconto, um e-book, um convite para uma live, etc;
  • Nada de mentiras! Não prometa coisas que não pode cumprir no seu e-mail;
  • Por último, depois de apertar o botão “ENVIAR”, não dá para voltar atrás. Portanto, revise o seu conteúdo várias vezes e envie testes para outras pessoas da sua equipe que poderão apontar possíveis falhas.

Boas práticas de e-mail marketing: perigo!

Neste tópico, reunimos alguns perigos que podem ser enfrentados, caso a sua empresa não siga este manual de boas práticas de e-mail marketing. Algumas das dicas mencionadas acima, como: não usar listas compradas, segmentar listas e não mentir contribuem para que você evite as práticas abaixo:

1. Descadastramento

Você não trabalhou duro para ser simplesmente riscado da lista de contatos do seu lead né? Portanto, já que boa parte dos descadastros são feitos pela elevada quantidade de envios ou porque a pessoa não tem mais interesse no seu conteúdo, você deve:

  • Avaliar o volume de e-mails enviados – nada de lotar a caixa de entrada de ninguém;
  • Segmentar as listas e, eventualmente, atualizá-las.

2. Spam

Existem várias práticas que podem configurar spam, desde a compra de listas até a reputação do IP do servidor. Aliás, uma vez que seu e-mail foi para o limbo da caixa de spam, as chances de ele voltar para a caixa de entrada são muito pequenas. Pense em quantas vezes você resgatou um e-mail da caixa de spam? Um total de zero, eu imagino. Além disso, o próprio lead pode denunciar o seu e-mail como spam, o que chamamos de Spam Report.

Você também deve evitar cair nas chamadas Spam Traps, ou armadilhas de spam, que são ferramentas criadas pelos próprios provedores de e-mail para identificar os remetentes que enviam mensagens indesejadas.

Deu para perceber que você precisa evitar ser pego ou até mesmo marcado como spam né? Abaixo, algumas práticas que podem ser tachadas como spam e que você deve ficar longe:

email-marketing-o-que-nao-se-deve-fazer

3. Blacklists

A lista negra dos e-mails marketings, aquela que você deve evitar ao máximo que o seu e-mail chegue perto. Aqui, são agrupados e-mails, endereços de IP ou domínios que foram denunciados como disseminadores de mensagens cadastradas como spam. As empresas costumam evitar cair nessas listas por dois motivos, o primeiro deles é que os administradores destas listas compartilham informações entre si, então uma vez cadastrado, a notícia pode se espalhar e seu IP ser bloqueado em toda a dimensão da internet. Além disso, se cadastrado, você deve descobrir em qual lista foi pego, para solicitar o descadastramento, que pode ou não ser aceito. Melhor evitar né?

O mundo do e-mail marketing é uma estratégia que vem ganhando espaço, principalmente por conta do Inbound Marketing. Mas vale lembrar que existem alguns pormenores para que entre, principalmente se você não foi convidado, na caixa de entrada de e-mails do seu lead. Aliás, a LGPD está vindo aí para prestarmos conta disso. Agora, se você quer ir muito além do nosso manual e investir em uma estratégia completa para o marketing da sua empresa, fale com a gente!

Comentários

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Posts relacionados